Dependente Químico ou Social

Não tenho duvida que as drogas, entre elas o álcool, são substancias que alteram profundamente a forma de funcionar do Sistema Nervoso Central. Que sua ausência, depois de um bom tempo de consumo frequente causa grande desequilíbrio e incomodo no organismo.
Contudo tenho observado pessoas que passam dias sem usar a droga, meses, até anos, mas quando experimentam alguma situação emocional fora do basal para eles a droga sempre vem e bate forte.
Quando acontece algo que os deixa muito alegres, muito tristes, preocupados e mesmo ansiosos, não dão conta que acabam rompendo o período de abstinência.
A sociedade moderna atingiu um nível de complexidade e algo mais complexo que isso, de especificidade, que muitos não dão conta. Não porque são menos que os outros, mas porque são diferentes da estrutura que a sociedade criada espera deles.
No passado e ainda hoje por algumas seitas as drogas são utilizadas em cerimonias religiosas para colocar o ser humano em contato com uma divindade, que seja capaz de aliviá-lo de suas angustias. No passado as intempéries do clima, eram tão angustiantes que havia cerimônias que serviam de válvulas de escape para essas angustias. Hoje compreendemos o tempo e muitas vezes somos capazes de nos organizar para lidar com ele, não gerando em nos tantas angustias como antes.
A falta de comida, também era motivo para essas cerimonias. O não saber lidar com a realidade que existia gerava a todo o momento, rituais que tinham como efeito aliviar o mal estar psíquico de impotência.
Freud em Mal na Sociedade, fala sobre as angustias que a complexidade da nossa cultura infere no sujeito. Hoje mais que a complexidade, a especificidade desta cultura, que espera, exige e cobra certos padrões de funcionamento do sujeito excluem grande numero de pessoas.
De forma igual e mais concreta vemos isso nas deficiências que felizmente hoje temos olhado de forma mais diferenciada.
O sujeito que era não tem uma perna, pode andar, ter carro, trabalhar, ir a muitos lugares que antes não ia. Do mesmo jeito o surdo, o cego etc.
Contudo existem pessoas que não tem uma deficiência física, mas contudo não possuem condições de lidar com essa realidade imposta. Não porque são menos, mas porque são diferentes.
Esse não dar conta os angustiam, os deprimem e os conduzem a bebida, a Droga, válvulas de escape desse mundo não feito para eles.
Dai oferecemos para ele não a solução para suas angustias, para lidar com o mundo, mas anestésicos que prolongam seu sofrimento em doses homeopáticas.
Criamos um mundo quadrado e achamos que todas as pessoas redondas são doentes quando sentem dores ao se encaixarem.
Dai oferecemos ansiolíticos, antipsicoticos, casas, empregos terapêuticos para aliviar nem tanto a dor deles, mas a nossa de impotência diante deles. Almejamos sua autonomia (ser igual a nós) e esquecemos nossa hegemonia sócia cultural.
Reprimimos as drogas, mas não os mecanismos de controle que Foucault fala em sua Microfísica do poder.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Frases do Livro: Na Natureza Selvagem

MULTI, INTER E TRANSPROFISSIONAL

Surdez e Déficit de Atenção