Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2011

RAFAEL MARMO: MEDICALIZAÇÃO DOS PROBLEMAS SOCIAIS E DA EDUCAÇÃO

RAFAEL MARMO: MEDICALIZAÇÃO DOS PROBLEMAS SOCIAIS E DA EDUCAÇÃO: Chega às crianças e adolescentes a transformação de problemas sociais e educacionais em doenças, com o objetivo de individualizar questões c...

Internação

Meu Pai é um alcoolista, Por varias vezes foi parar no Pronto Socorro, Tomava glicose na veia e era sempre liberado, Sem ninguém falar mais nada do porque bebia, Ou de como parar. Ele também sofreu muito com meus avôs, também alcoolistas,
Direto e reto ele espancava minha mãe, Que não podia falar nada para ninguém, Com medo de perder meu pai, que ela amava muito e dizia compreender “o porquê” ele era assim. Por varias vezes minha mãe foi ao posto de saúde fazer os exames de rotina, E nunca ninguém lhe perguntou nada, Daqueles hematomas que ela trazia por todo o corpo e a todos causava estranheza.
Nem mesmo a assistente social que nos dava uma cesta básica todo mês, Indagou “o porquê” ela com muitas dores pelo corpo não conseguia carregar a cesta sozinha.
Resolvi sair de casa, Apesar dos meus amigos vizinhos, Meus familiares que moravam perto, Mas não sei, Incomodava-me estar em minha casa, Ver tudo que via e como as moças do posto ou a assistente social ser também indiferente. Pare…

O direito de ser respeitado

Primeiro queriam que eu fosse medico,
Eu queria ser bombeiro,
Depois que eu torcesse para esse e não aquele time.

Me disseram que minha namorada não valía a pena,
Que eu devia fazer isso ou aquilo
Esvaziaram minha vida de sentido
Cada um forçando a sua vontade

Agora que nada me vale
Que peço ajuda
Porque ainda me julgarem,
Antes de me darem o que preciso urgente?

Porque seus valores são mais importantes que os meus?
E não deixem fazer de minha vida o que quiser?
Me deem apenas o que todo mundo tem direito.
Aos serviços de saúde e o respeito.
Deixem me dispensar seu olhar de reprovação,
Pois ele nunca me ajudou.

Redução de Danos

É preciso ter coragem,
Para salvar sem ver o pecado,
Sem fazer juízo de valor,
E se fixar somente no que é possível,
Naquilo que se pode fazer.

Sem ser utópico,
Moralista ou Juiz.
Mas apenas fazendo seu papel.
Salvando vidas
Ou ajudando aquelas que
Não iriam ser salvas de outra maneira
A de alguma forma serem felizes.

Enfrentando reprovações,
Assombros moralistas e o próprio medo.
Mas indo a diante.
Em prol do respeito,
Da vida e do que é possível.

Seu Filho Diferente

Pe. Zezinho
Foi bonito concebê-lo. Vocês dois o queriam Mais do que qualquer riqueza. E foi um mar de felicidade A notícia da gravidez, Até aquele dia da outra notícia. Santo Deus! Como doeu lá dentro. Sim, vocês seriam pais, Mas pais de uma criança diferente: Síndrome de Down. Não fosse a paz do médico, Da enfermeira, dos pais. Se não fosse a palavra serena Do padre, dos amigos. Não fosse aquele casal que também Passou por isso. Não fosse o pai e a mãe que vocês Já eram, Tudo seria dor e tragédia. Não foi! Ele nasceu, e aquele rostinho diferente, Aqueles olhinhos diferentes, Aquele serzinho humano e feliz Iluminou vocês a cada gesto que fazia. Ensinou-lhes o sentido da esperança E a definição mais clara de pessoa. Às vezes ainda dói, em algumas Perguntas estranhas Ou gestos imaturos, Como aquele casal insensível Que olha e fala bobagem; Aquela criança ou aquela mocinha Que não sabem Como acolher o mistério. Mas vocês sabem Que seu filho é diferente, Apenas diferente, Anormal nunca, …