Super Homens na Sarjeta

Sobre Ansiedade, Diazepam e Cachaça

Tive oportunidade de atender enquanto estagiário do Albergue de Campinas, um rapaz muito ansioso, revoltado por não lhe terem receitado medicamento para dormir em uma consulta psiquiátrica. Ele estava bravo, e foi muito agressivo comigo quando tentei explicar o porquê o psiquiatra não teria lhe receitado tal medicamento. Mas ele insistia. Em certo momento, tive que aumentar o volume de minha voz e ser firme com ele. Os olhos vermelhos de raiva parecia indicarem que ele iria me agredir, mas não, saiu da sala e abandonou o albergue dizendo que não fazíamos nada por ele.

Tempos depois, ele retornou e queria falar comigo. Queria me dar uma devolutiva daquele atendimento tão tenso. Num primeiro momento, até achei que ele iria me acusar de alguma desgraça que tenha acontecido na sua vida por eu não tê-lo ajudado a arrumar aquele medicamento. Mas não, ele estava ali para agradecer, disse que tinha dois empregos, tinha alugado e mobilhado uma casa e morava com uma namorada que conhecera no serviço. Quando perguntei qual era a minha responsabilidade por seu sucesso, ele respondeu: “Eu queria apenas algo para me fazer dormir e fugir do incomodo da minha situação e você me fez acreditar que eu tinha muita energia que precisava ser usada para o meu bem, e foi isso que fiz. Já que não conseguia dormir a noite arrumei um emprego para esse horário... Também percebi que o albergue era para mim um anestésico de minha incompetência de gerir meu projeto de vida quando este me protegia de certa forma das minhas responsabilidades.” Essa foi uma conversa muito importante para meu entendimento da ansiedade.

Como psicólogo tive a oportunidade de acompanhar pessoas que viviam sob efeito intenso de ansiolíticos, pessoas com aparência letárgica e que não conseguiam dar conta de suas próprias vidas. Também tive a oportunidade de conhecer pessoas ansiosas que se entregaram a cachaça como forma de lidarem com as constantes situações ansiógenas de suas vidas, em alguns casos a maconha os ajudava a se aliviar da angustia do dia a dia. Algumas por conta do exagero do álcool acabaram em situação de rua, vivendo sem controle nenhum de suas próprias vidas.

Com isso percebi que tem pessoas que possuem uma energia enorme, muito grande, que podem ser usadas de formas perspicazes, levando essas pessoas ao sucesso ou então, quando não existe uma forma produtiva de vazão dessa energia, represando-as, gerando insônia e uma angustia insuportável, os levando em alguns casos a recorrer ao álcool para alivia-los.

Pude perceber nas ruas pessoas com essa energia enorme, mas que pela privação de uma educação, não falo apenas de letramento, não conseguiram dar vazão a essa energia. Muitas vezes essa energia era a inquietação que incomodava a professora da escola e ainda os tornavam insuportáveis para seus familiares. E diante disso eram apenas discriminados quando o que precisavam era de uma educação para usar essa força.

Educação que compreenda o uso do próprio corpo, os relacionamentos interpessoais e o trabalho.

Outras ainda, que tem acesso a medicamentos, calam essa energia de forma excessivas tentando serem pessoas comuns enquanto na verdade eram destinadas a serem Super Homens.

Comentários

  1. Leo, ser psicólogo é isso... e vc sou ser desde o começo! Super Homens e Mulheres, que sobrevivem a tudo e a todos... vencem a morte e a própria ansiedade, se perdem nesta luta insana, que os faz ser quem são, parte de nós mesmo.

    ResponderExcluir
  2. É Léo.
    Pra você ver o quanto uma terapia faz difrença na vida de uma pessoa. Se ele não tivesse tido este retorno, seu, a oportunidade de descoberta da pessoa forte e cheia de espectativa que ele era, teria passado desapercebido, e a vitória teria sido da ansiedade, do diazepan e da cachaça, tendo o homém de verdade desaparecido nas angústias e nas dificuldades cotidianas.

    ResponderExcluir
  3. LÉO; COMO É BOM VER O QUANTO É IMPORTENTE PROFISSIONAIS COMO VOCÊ, QUE CONSEGUE ENXERGAR O POTENCIAL DE UMA PESSOA E TER CORAGEM DE AJUDA-LA A ENFRENTAR SEUS FRACASSOS E MEDOS,PRA TEREM UM NOVO PROJETO DE VIDA./ GOSTARIA DE SITAR UMA PASSAGEM BIBLICA.(JO 4,1-5) O ENCONTRO DE JESUS COM A SAMARITANA NO POSSO DE JACÓ.(TODOS BUSCAM ALGO QUE LHES MATE A SEDE,MAS ENCONTRAM APENAS AGUÁS PARADAS.JESUS TRÁZ AGUÁ VIVA CORRENTE E FAZ COM QUE A FONTE BROTE DE DENTRO DE CADA UM). ABRAÇO. VALDECIR

    ResponderExcluir
  4. Muito boa percepção !! Parabéns por estar desenvolvendo tão bem sua observação !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Frases do Livro: Na Natureza Selvagem

MULTI, INTER E TRANSPROFISSIONAL

Surdez e Déficit de Atenção